Translate

jueves, 23 de abril de 2015

Pátria fuzilada

Não me complica, tua memoria e melhor que a minha
A derrota ensina, mais a vitoria e o que bebem os sedentos
que não querem cair no olvido.
Maldita pátria fuzilada, flor que perpetua em velhos jardins
Que coisa incrível esse manantial amargo de vozes fatigadas
Algo mudou de alguma forma, já não há moinhos nem passado
nem janelas para esse outono repentino,não podemos esperar
essa ansiedade a conta gotas;
Nem enigmas,
Nem fantasmas,
Nem o receio impessoal, que ainda nos devora...



Publicar un comentario