Translate

miércoles, 15 de abril de 2015

Vampiros.

Não podemos perdoar sem antes perdoar-nos;
A frustração nos persegue mais acaba no vinho;
E sempre tentamos encontrar a fênix, mais nos
perseguem os eufemismos.
Teremos que resgatar a auto-critica sem auto flagelar-nos
Teremos que aprender se merecemos a derrota ou deixamos
o futuro nos queimar,
Reservaremos para o inimigo até a ultima gota de ódio a longo
prazo,e quando a ferida queimar escavaremos tão fundo novamente
que acharemos o rancor junto com a verdade.
Não podemos perdoar sem antes perdoar-nos;
Teremos todas a noites e todas as fobias,por isso o mundo
é um espelho que não nos reflete,e os sonhos e as melancolias
são como blindagens que nos envolvem até o alento, mais
também nos atrapam em calabouços inexpugnáveis que nem a confiança
e nem novas dores abrirão... 


Publicar un comentario